Por Gabriel Gavinelli

Donos das duas melhores voltas da classificação se encontraram na grande final deste sábado

A terceira etapa do Ultimate Drift e primeiro evento oficial de automobilismo no sambódromo desde que ele virou arena chegou ao fim depois de muita fumaça e belas disputas.

A passarela do samba recebeu durante todo o dia de sábado os principais nomes do drift nacional andando sozinhos e em batalhas pelo evento que serviu como terceira etapa do Ultimate Drift e primeira etapa da Copa do Brasil.

Foi o primeiro de dois dias de eventos no sambódromo do Anhembi. Os carros do Ultimate Drift voltam a acelerar no domingo.

No período da manhã aconteceram as classificatórias, onde os 42 pilotos inscritos no evento tiveram duas chances para registrar sua melhor volta no traçado desenhado especialmente para a ocasião.

Oito pilotos registram notas acima dos 90 pontos e 19 pilotos colocaram notas superiores aos 80 pontos.

Quem terminou o classificatório com a melhor nota foi João Barion que anotou 98 pontos em sua segunda passagem. O segundo colocado foi Gus Koch com 94. O líder do campeonato, Erick Medici foi o quinto com 92 pontos.

11 pilotos partiram para repescagem em busca das duas últimas vagas para o top32. As primeiras batalhas do dia já mostraram que o nível técnico dos pilotos estava apurado. Clerisson Penguim e André Silva garantiram as duas vagas para a fase final.

O chaveamento colocou Erick Medici, Fred Monteiro e João Barion, líder, vice-líder e quarto colocado do mesmo lado. O terceiro colocado, Gus Koch alinhou como cabeça de chave do lado direito.

A grande surpresa do campeonato ficou por conta de Guilherme Winand, que em disputa valida pelas oitavas de final desbancou o líder Erick Medici. Ele chegou até as semis quando cruzou caminhos com Barion e o Mustang V8 do Sheriff. Pelo outro lado do chaveamento, Gus Koch reinava soberano até as semis, quando fez um confronto equilibrado com Márcio Kabeça. Dois dos pilotos mais experientes do campeonato precisaram de baterias extras para decidir a vaga na final.

Barion e Koch se encontraram na final e fizeram valer as melhores notas durante o dia. A batalha decisiva foi um show digno do palco que recebe o evento. Os dois pilotos aceleraram de pé cravado na primeira passagem e praticamente andaram a volta toda batendo porta com porta.

A decisão do vencedor da etapa  ficou para a volta de líder de Gus Koch. Ele e Barion andavam juntos até o erro do piloto do Mustang na entrada do miolo. Koch só precisou trazer sua BMW para a linha de chegada e comemorar o título.
Márcio Kabeça, Guilherme Winand e Carlos Miyanishi completaram os cinco primeiros colocados.

No domingo acontece a quarta etapa do Ultimate Drift e segunda da Copa do Brasil. O formato praticamente o mesmo do sábado, a única diferença é que os pilotos terão apenas uma volta na fase classificatória.

O Ultimate Drift tem transmissão ao vivo de todas as suas baterias em seu canal oficial do YouTube (Ultimate Drift) e no site Motorsport.com .

A etapa na Arena de Lazer Sambódromo do Anhembi em parceria com a São Paulo Turismo. Devido a pandemia do coronavírus, o evento segue todos os protocolos sanitários e não é aberto ao público.

 O classificatório

O primeiro piloto a acelerar para valer na classificatória do Ultimate Drift foi Aparecido Bueno. O piloto fez uma volta conservadora, considerando que ele ainda teria mais uma passagem pela pista do sambódromo.

O primeiro piloto a pontuar nesse classificatório foi Diego Shimazaki. 85 pontos para ele na primeira passagem.

Francisco Horne assumiu a liderança com 88 pontos para o carro #48.

Renato Garcia foi outro piloto que fez uma grande volta. O surpreendente novato conquistou 83 dos 100 pontos possíveis para ele. Renato preencheu bem os outside zones da parte interna da pista.

Maykel “Japa” fez uma boa volta na sua primeira passagem na classificatória. Com 93 pontos ele assumiu a liderança com oito pontos de vantagem para Shimazaki.

Na volta seguinte, Carlos Myanishi conseguiu os mesmos 93 pontos empatando com Japa na liderança dessa classificatória.

Márcio Kabeça foi outro piloto que entrou na casa dos 90 pontos. O piloto cravou exatos 90 pontos em sua primeira passagem e subiu para a terceira posição na tabela.

O Sheriff João Barion foi para sua primeira passagem com o Mustang V8 na pista do sambódromo. Um dos principais nomes do Drift nacional fez 86 pontos e chegou a danificar o carro encostando no muro em sua primeira volta.

Gustavo Koch foi à pista depois de Barion. Um dos concorrentes ao título desse ano conseguiu 92 pontos em sua passagem inaugural, pulando para a terceira posição.

Fred Monteiro foi outro que conseguiu boa volta. O vencedor da primeira etapa fez 90 pontos em sua volta.

O último piloto a ir para a pista nessa primeira passagem foi o líder Erick Medici. O carro #77 deu show em sua primeira volta com 92 pontos. Com isso ele empatou com Koch na segunda melhor pontuação até agora.

Miyanishi veio a pista com a dura missão de superar os 91 pontos de Japa para ser o líder geral. Ele repetiu os 93 pontos da primeira passagem, que garantiram a posição até o momento.

Márcio Kabeça superou sua nota inicial. Novamente pontuando acima dos 90 pontos. A segunda passagem de kabeça registrou 91 pontos.

Bruno Bar melhorou sua melhor nota também. O piloto do sul marcou 91 pontos.

Barion andou muito próximo dos muros na sua segunda passagem. O piloto quase atingiu a perfeição com 98 pontos na sua segunda volta e assumiu a primeira posição.

Gus Koch garantiu a segunda posição com 94 pontos em sua segunda passagem. Medici, que foi o último a andar no quali não superou seus dois rivais e manteve os mesmos 92 pontos da primeira passagem.

As Batalhas

Clerisson Penguim e André Silva se classificam para o top32 após a repescagem. A primeira parte das batalhas do dia de hoje foi marcada por by runs, voltas onde o piloto anda sozinho na pista para apenas garantir sua passagem. As batalhas tiveram um bom gosto de borracha queimada, alguns carros quebrados e voltas abortadas.

Penguim ficou na 32ª posição e André na 31ª. Eles cruzam com os dois líderes da classificação, João Barion e Gus Koch.

O top32 começou com vida difícil para Penguim que teve que enfrentar o maior pontuador do dia, João Barion. O Sheriff fez uma volta de líder que beirou a perfeição, na volta de chaser, Barion chegou a encostar na parede da entrada da gota, mas isso não tirou a vitória do Mustang V8. A grande surpresa do lado esquerdo do chaveamento ficou por conta de Guilherme Winand e seu Subaru Hatchback. Winand foi o único piloto não considerado “cabeça de chave” a desbancar seu adversário que classificou melhor no período da manhã.

Do outro lado da chave os duelos foram mais intensos. Renato Garcia e Erik Nikkei precisaram de baterias extras para conhecermos o vencedor da batalha. Sergio Hanazono e André Bueno usaram os tempos de cinco minutos por problemas nos carros. No final das contas, Hanazono levou a melhor sobre o “Z” de Bueno.

Carlos Miyanishi e Juba fizeram uma das melhores batalhas da primeira parte, com carros andando porta com porta e completando bem os outside zones. Miyanishi levou a melhor na batalha.

Bruninha Genoin desbancou seu mestre Diego Shimazaki. A vantagem do confronto era de Shimazaki por conta do carro, mas seu equipamento quebrou e ele não conseguiu arrumar o carro dentro dos cinco minutos permitidos e viu Bruna se classificar para as oitavas de final.

Os confrontos das oitavas de final reservaram um resultado importante para as pretensões de título do Ultimate Drift. Winand desbancou o líder Erick Medici nas oitavas e levou seu Subaru para as quartas de final. A queda de Medici deixa o campeonato aberto para aqueles que o perseguiam na classificação.

Gus Koch eliminou Renato Garcia para encontrar Hanazono nas quartas. Miyanishi e Kabeça também avançaram suas baterias.

A abertura das quartas aconteceu com um duelo de gigantes. Barion e Fred Monteiro, quarto e segundo lugares no campeonato respectivamente, colocaram os carros lado a lado, raspando muro nas outside zones. Melhor para o Sheriff em duelo que balançou a classificação geral.

Winand e Japa formaram a segunda bateria a ir para a pista nas quartas e a disputa entre eles rendeu baterias extras.

Na batalha de desempate o carro de Japa quebrou e Winand realizou a volta de by run para carimbar a passagem para as semifinais.

O duelo entre Gus Koch e Hanazono fizeram outro duelo de grandes nomes do drift nacional. A volta de líder de Koch deixou Sergio comendo fumaça, mas ao inverter as posições, Hanazono raspou muro e deu muito trabalho para seu chaser. Koch desbancou um dos percursores do drift no Brasil no duelo entre eles.

Kabeça e Miyanishi travaram a última batalha das quartas. No miolo da primeira passagem, Carlos Miyanishi rodou e teve danos em seu carro que já vinha apresentando problemas no eixo cardan desde os treinos de sexta. Passados os cinco minutos de reparo, os dois voltaram a duelar. Márcio Kabeça eliminou Miyanishi para seguir seu caminho na etapa.

O primeiro duelo das semis foi entre o favorito João Barion e a zebra Guilherme Winand, Mustang x Subaru. O Sheriff levou vantagem em sua volta de líder, Winand errou ao lançar a volta e deu a vantagem para o Mustang de Barion. Votação unanime entre os jurados para colocar Barion na final.

Kabeça e Koch fizeram a outra semifinal e equilíbrio foi a palavra que definiu o duelo entre eles. Os carros andaram praticamente encostando porta com porta, a diferença foi mínima entre os carros. Os jurados não conseguiram escolher um vencedor com apenas uma batalha e os pilotos foram para o desempate para decidir o outro finalista. A batalha de desempate não deu vida fácil aos jurados, novamente os pilotos andaram muito próximos. Gus Koch levou a melhor sobre Kabeça e foi para a final contra Barion.

Kabeça ficou com a terceira posição, pois não tivemos batalha para decidir o terceiro e quarto, com isso a decisão foi pela pontuação na volta de classificação.

A grande final fico por conta de primeiro e segundo lugares na classificação, o duelo entre eles começou com o Sheriff sendo líder e Koch seguindo o Mustang. Na primeira passagem os dois pilotos andaram muito próximos, porta com porta e fazendo muita fumaça. A decisão ficou para a volta de líder de Gus Koch. Os pilotos iniciaram a volta andando muito próximos, porém na entrada da gota, Barion acertou a porta de Koch e perdeu o controle do carro. O toque deixou caminho aberto para Gus terminar a volta e se sagrar o grande campeão da terceira etapa do Ultimate Drift.

Fonte: https://www.f1mania.net/outros/gus-koch-desfila-sua-bmw-raspando-os-muros-e-vence-3a-etapa-do-ultimate-drift-em-final-emocionante-com-joao-barion/amp/